Curso sobre compostagem é realizado na PGJ

Spread the love
Professora UemaPúblico compostagem 1Público compostagem 2 Projeto Café Sustentável é parte do Programa Integrar

Como parte do projeto Café Sustentável, membros e servidores do Ministério Público do Maranhão participaram, na manhã desta terça-feira, 23, de um minicurso sobre compostagem ministrado pela professora doutora da Universidade Estadual do Maranhão, Ariadne Enes Rocha. O evento foi realizado no Espaço Laboral da Procuradoria Geral de Justiça.
O coordenador do Programa Integrar, procurador de justiça Marco Antônio Anchieta Guerreiro, participou do minicurso. Para ele, “a reutilização da borra de café é uma prática simples que traz muitos resultados positivos. A responsabilidade socioambiental é a base do programa Integrar”.

Na oficina, a agrônoma explicou primeiramente o conceito de compostagem que é a reutilização de resíduos orgânicos para a produção de adubo. Ela acrescentou que o material produzido pode ser utilizado na fertilização de jardins e de canteiros destinados à produção de mudas, hortaliças e plantas frutíferas em geral.

“Além disso, a compostagem evita o lançamento de resíduos sólidos orgânicos em lixões e aterros. Outra vantagem do procedimento é o baixo custo operacional”, afirmou a palestrante.

A professora também apresentou diversos modelos de estruturas para o processo de compostagem, que podem ser montadas em uma casa ou apartamento. Ela comentou que o procedimento quando possui uma quantidade equilibrada e adequada de materiais orgânicos não produz mau cheiro, podendo ser feito em qualquer espaço.

Alguns materiais que podem ser utilizados para a compostagem são dejetos de animais, restos de alimentos e de frutas, borra de café, cascas e caroços, serragem, além de restos de capim, folhas e galhos.

No entanto, há determinados materiais que não podem ser utilizados na mistura ou devem ser evitados, como restos de carnes e de peixes, além do esterco de porco, porque, além de causarem mau cheiro, podem atrair roedores, urubus e insetos.

Ariadne Rocha lembrou, ainda, que para a compostagem dar resultado é imprescindível a irrigação periódica.

Redação e fotos: CCOM-MPMA

Powered by WPeMatico